Home office traz economia, flexibilidade e qualidade de vida para as relações de trabalho

por Equipe Alstra
Alstra-home-office-traz-economia-flexibilidade-e-qualidade-de-vida-para-relacoes-de-trabalho-14

O home office é uma realidade cada vez mais comum no mundo corporativo, tanto nas grandes empresas como entre os profissionais que trabalham sob demanda. Entre as vantagens desse modelo, que com a reforma trabalhista passou a ser regulamentado, estão economia, flexibilidade e qualidade de vida.

Uma pesquisa do Ibope Conecta, realizada pela internet a pedido da Microsoft entre maio e junho de 2018 com 1.500 profissionais, mostrou que 47% das pessoas já trabalham em casa ao menos parcialmente. 17% dos entrevistados fazem home office uma vez por semana; 9%, duas vezes na semana; 8% de três a quatro vezes na semana; e 12% diariamente. Mesmo quem ainda não se beneficia com o modelo, vê o home office como uma inovação. Para 62% dos entrevistados, a possibilidade de fazer home office e/ou trabalhar a partir de outros lugares que não o escritório caracterizam um ambiente de trabalho moderno (fonte: Para 85% dos profissionais, reuniões remotas já oferecem experiência tão positiva quanto presenciais, revela pesquisa).

Uma das principais vantagens do home office é a economia. Principalmente nas grandes cidades, onde o custo dos imóveis representa uma fatia considerável das despesas, poder ter espaços menores com o rodízio de profissionais representa uma boa ajuda para a empresa. Para o profissional, a redução dos gastos com alimentação fora de casa e transporte também representa uma fatia considerável no orçamento quando ele passa a morar e trabalhar no mesmo ambiente.

Outro ponto positivo é a flexibilidade de horário. O profissional que faz home office precisa cumprir suas tarefas, obviamente, assim como o que vai para o escritório todos os dias, mas o diferencial é que a cobrança para quem trabalha longe dos olhos do superior costuma ser para que o projeto esteja pronto no prazo determinado. Isso permite abrir algumas janelas no meio do dia para resolver questões pessoais, por exemplo.

O ganho em qualidade de vida também é um grande destaque para quem adere ao home office. Cada vez mais, o trânsito tem tomado o tempo dos moradores das metrópoles. De acordo com a pesquisa Mobilidade Urbana na Cidade, da Rede Nossa São Paulo, o tempo médio de deslocamento diário dos moradores de São Paulo é de 2h43 (fonte: Paulistano passa 10 minutos a menos no trânsito, mas ainda gasta 2h43). Com a possibilidade de trabalhar em casa, esse tempo é reduzido consideravelmente, já que muitos dos deslocamentos são feitos para o trabalho.

COWORKING

Para complementar o home office, uma solução para os profissionais que fazem eventuais reuniões que precisam de um espaço mais formal ou mesmo querem um ambiente mais neutro é o coworking. Essa tendência atual do mercado corporativo possibilita aos profissionais dividirem espaços (e consequentemente custos) em escritórios compartilhados que podem ser alugados por períodos específicos.

DESAFIOS

Claro, trabalhar em casa também tem seus desafios. Para o profissional ser bem sucedido na tarefa é preciso organização e disciplina.
O primeiro passo é separar um espaço físico exclusivo para o home office. Assim, com um lugar determinado, é mais fácil não atrapalhar a rotina da família em casa e manter tudo sob controle. O espaço exclusivo para o trabalho também é um facilitador para a delimitação, principalmente quando se tem crianças ou animais de estimação. É preciso que os outros moradores aprendam que aquele local é restrito e a presença de qualquer outra pessoa alinão é livre.

Outro ponto a ser observado para quem trabalha de casa é a disciplina. Os ladrões do tempo estão muito mais perto quando se está fora da empresa. A TV, a geladeira, o sofá podem ser grandes distrações no dia a dia. Também é preciso deixar claro para os outros moradores que estar fisicamente em casa não é sinônimo de estar disponível. Não há problema em receber uma correspondência eventualmente, por exemplo, mas é necessário deixar claro que as tarefas domésticas não serão feitas durante o horário determinado para
o trabalho.

Como toda novidade, o home office requer adaptação do profissional e da empresa, mas é a relação de trabalho do futuro. A solução traz economia, praticidade e independência, mas para que esse relacionamento funcione é preciso confiança e responsabilidade de ambos os lados.

POST RELACIONADOS