Você tem um mindset de crescimento?

por Equipe Alstra
Alstra-Você-tem-um-mindset-de-crescimento

A atualização é uma característica essencial para o profissional que quer se manter em alta no mercado. Se há algum tempo, esse era um diferencial dos bons colaboradores, com os avanços tecnológicos cada vez mais rápidos, hoje esse traço é praticamente obrigatório para quem quer ser competitivo. A aprendizagem ao longo da vida virou necessidade para os trabalhadores do futuro.

Tipos de mentalidade


No livro “Mindset – A nova psicologia do sucesso”, editado no Brasil pela Objetiva, a autora Carol Dweck fala sobre os dois tipos de mentalidade existentes: a fixa e a de crescimento. Na primeira, as pessoas acreditam que nascem com um talento e que seu sucesso se deve a essa características imutável. Já as pessoas de mindset de crescimento encaram as
dificuldades como desafios e acreditam que podem aprender e se aprimorar.

A boa notícia é que todo mundo pode aprender a cultivar a mentalidade de crescimento e é a partir dela que o conceito de aprendizagem ao longo da vida passa a fazer sentido. Entender que sempre há espaço para evolução é essencial para o profissional moderno.


Características


A consultoria McKinsey fez uma lista com sete elementos essenciais para a mentalidade de aprendizagem ao longo da vida. Para ganhar destaque no mercado de trabalho, o colaborador tem de estar atento a esses pontos:

  1. Concentre-se no crescimento
    O que determina o quanto alguém vai aprender é sua dedicação e sua capacidade de trabalhar duro. Vale a máxima atribuída à Thomas Edison: “o gênio é 1% inspiração e 99% transpiração”. Estar disposto a novos desafios é essencial para o colaborador.
  2. Torne-se um mestre em série
    Se antes, os profissionais desenvolviam em profundidade uma especialização e, com a experiência no mercado de trabalho, iam complementando o conhecimento ao longo dos anos, hoje a realidade é outra. Com o aumento da longevidade, as pessoas se mantém por mais tempo no mercado de trabalho e, por isso, precisam se aprofundar em diferentes áreas ao longo do tempo. É preciso desenvolver a maestria em mais de uma tarefa ao longo da carreira.
  3. Force-se
    Aprender exige que o profissional saia de sua zona de conforto. Para se manter motivado é importante que o colaborador tenha novos desafios de tempos em tempos, evitando o tédio. A cada novo aprendizado, uma injeção de ânimo é dada na força de trabalho.
  4. Construa sua marca pessoal
    Para se diferenciar e mostrar quais são suas principais características, o profissional precisa construir, ao longo dos anos, uma marca pessoal com autenticidade, proposta de valor,
    história, experiência, consistência, visibilidade e conexões. Uma estratégia é definir por
    quais características ele quer ser conhecido e criar um slogan pessoal.
  5. Domine sua jornada de desenvolvimento
    Empregos para a vida toda são cada vez mais raros e, por isso, não faz mais nenhum
    sentido (se é que algum dia fez) esperar que a empresa se responsabilize pelo
    desenvolvimento do empregado. O colaborador tem de ter suas próprias metas para
    melhorar. É imprescindível ter objetivos de aprendizado, medir seu progresso, pedir
    feedback e fazer um investimento (de tempo e de recursos) pessoal no crescimento
  6. Faça o que você ama
    As pessoas gastam a maior parte de seu tempo no trabalho, por isso para garantir felicidade
    e bem-estar o profissional tem de seguir seu propósito e fazer o que gosta de verdade. No
    Japão, é usado o termo ikigai, que significa razão de ser, para se referir à atividade que traz
    satisfação e significado para a vida.
  7. Mantenha-se vital
    Ter bons hábitos não apenas aumenta a longevidade do indivíduo, mas também garante
    que os anos vividos sejam com bem-estar. Uma boa noite de sono, por exemplo, garante
    maior poder de concentração e aprendizagem ao longo do dia.